terça-feira, 13 de setembro de 2011

O melhor lugar para se estar é no fundo do poço..

"A bondade de Deus não consiste em fazer um desastre parecer algo favorável, mas no que ele pode fazer por você, mediante a um desastre".

Alguns insistem em culpar Deus por tudo que lhes acontece de ruim. Acho isso um grande erro. Não falo do erro de culpar Deus, mas de pensar que Deus possui algum interesse em te fazer mal.
Justo Ele, que eu acredito e tenho convicção, de que Ele trouxe todas as coisas à existência, ao som de sua voz, e ao homem ele esculpiu com as próprias mãos e depois soprou em suas narinas, trazendo o folego de vida.
Uma vez meu irmão me disse, que o melhor lugar para se estar é no fundo do poço. O termo "melhor" eu acho um tanto exagerado, mas o fato é que no fundo do poço, não se tem mais para onde cair, não da para descer mais, não há mais o que se perder. E nesta situação só te resta uma opção, OLHAR PARA CIMA.
Você passa a procurar meios de sair,
Você deixa o orgulho de lado e pede ajuda, grita por socorro,
Você passa a entender que nesta vida você não quer e não precisa estar sozinho,
Você enxerga as alternativas e age conforme os recursos que você tem,
e se Você gritar e pessoas não te ouvirem e demorar para alguém chegar,
Você clamará por Deus e ele te ouvirá e enviará pessoas para te ajudar.
Deus te estenderá a mão e te tirará deste terrível lugar.
Bem-aventurado é aquele que se refugia no Senhor.
Ele se importa com todas as áreas da sua vida.
Bem-aventurado é aquele que tem Jesus como o seu Senhor.
Nos podemos ter uma noção da extensão do cuidado que Deus tem, para com aqueles que nele se refugia, no salmo 23.
O Senhor é o meu pastor e nada me faltará (Deus se importa com o teu sustento, com as tuas necessidades, física, emocional e espiritual)
Ele me faz deitar em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome. (A paz que vem de Deus é às vezes inexplicável, no meio da confusão, em meio a situações drásticas, de repente você consegue respirar, raciocinar e agir. A paz de Deus é a certeza de sua existência, a convicção de que ele pode mudar toda e qualquer situação. A certeza de que ele vai a sua frente, de que ele te cerca de proteção, de que ele É por você.)
Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam. (Você não passa despercebido aos olhos de Deus nesta vida. E por mais que haja dúvida em você, talvez por não ter vivido nenhuma experiência profunda com Ele. Existe uma promessa que ele nos fez, quando ressuscitou e subiu aos céus, a promessa de que ele não nos deixaria só. Ele prometeu que deixaria o seu Espírito, como nosso ajudador, consolador e como consciência para nos guiar e nos convencer do pecado. Ele disse: Eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Não precisamos ter medo, porque ele não se ausentará, e estará disposto a nos ajudar sempre, basta chamar.)
Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda. (Ele se importa com seus relacionamentos, e te ensina o ideal de vida, conduzindo pelos melhores caminhos. Um dos conselhos acerca dos nossos inimigos, é que devemos Amar aos nossos inimigos, devemos abençoá-los e não devemos pagar o mal com o mal, mas o mal com o bem. Devemos viver em amor, em nossas atitudes deverão refletir o amor de Deus.)
Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR por longos dias.
A Bondade de Deus é eterna. Ele jamais desistirá de você, sempre haverá a oportunidade de você se voltar para Ele, você em sua liberdade de escolha, pode escolher a Jesus, escolher viver o amor de Deus.
Se Deus não se importasse conosco, ele não teria se sacrificado. Ele teria deixado que o mal que nasceu em nós, nos consumisse.
Não há amor maior do que este, do que dar a sua vida em favor de muitos. E Ele o fez por todos nós.
Renovar a sua fé e a esperança, é a chave principal para a mudança. A fé e a esperança no amor e na bondade, são essenciais para se manter vivo. Enxergar o mundo com os olhos do coração, se voltando para Deus, acreditando que ele nos ama e cuida de nós, é o ar para respirar, em meio a todo esse caos.

sábado, 3 de setembro de 2011

O Resultado de nossas escolhas



PARTE III

Se amar é uma opção, é possível definir amor como sim ou não, ou somente existem em nós porcentagens do que é amor?

Algumas verdades são tão óbvias, e mesmo em sua simplicidade, nem sempre as compreendemos, pois não se vê a necessidade de uma profunda meditação.
O "amor" é um dos meus temas favoritos, nós temos facilidade para falar dele e escrever poesias. Mas quando precisamos separar o sentimento da razão, ficamos confusos.
A música "Nosso Erro" (Banda: Fruto Sagrado) diz: "Amor de verdade nunca acaba, nunca enfraquece. Amor de verdade não é como o vulcão, chamado paixão, que ao adormecer só deixa incertezas".
Quando ficamos confusos procuramos identificar o que é o amor e suas características.
Amor é o desejo, em sua forma pura, pelo bem-estar de outros. É o reconhecimento do valor de alguém, em dedicação e renúncia. Consiste em querermos para o próximo o mesmo que queremos para nós mesmos, estimarmos o próximo como estimamos a nós mesmos. A auto-estima leva-nos a "cuidar" de nossa própria pessoa, protegendo, providenciando o que lhe é necessário, sacrificando-nos por seu bem-estar.
O amor é sincero e verdadeiro. O amor é benigno, sua suavidade faz com que as boas ações ocorram com naturalidade, pois enxerga a renúncia como honra e prestígio para com o amado.
No amor você age em favor do outro se colocando em seu lugar.
O amor enxerga o propósito para todas as coisas e confia na providência de Deus.
O amor é bondoso, é paciente, ele protege e cuida, suporta as diferenças, tolera os defeitos, é lento para se irar. Ele tudo crê, pois acredita no lado melhor das pessoas e não costuma expandir os seus defeitos, ele encoraja o que há de melhor nas pessoas.
O amor permanece como amigo, e ama a despeito do que sabe a seu respeito, vê o seu potencial, encoraja-o a cumprir os seus ideais.

“Ai de mim! Quem me dera que eu pudesse ler,
Que pudesse ouvir, por conto ou por história,
Pois o curso do verdadeiro amor nunca é suave”
(Shakespeare, Much Ado about Nothing, II.i.102).

“... o amor suporta silenciosamente tudo quanto precisa sofrer” (Shore, in loc.).

O amor não é inconstante, ele não possui dúvida de sua veracidade.
O amor não é invejoso, pois ele se alegra em ver o bem acontecendo ao próximo.
O amor não suspeita o mal, pois espera o bem.
O amor não se alegra com a injustiça, nem se regozija com a fraqueza de outros, mas se alegra com a verdade.
O amor não tem inveja, nem sente ciúmes. Embora muitos acreditem que o ciúme seja algo positivo no relacionamento, pela intensidade que ele expressa, estes dois sentimentos enxergam somente, a vantagem pessoal, com a degradação das realizações e qualidades dos outros. Naturalmente que a inveja é uma forma de egoísmo, de par com uma avaliação inferior sobre o valor alheio, que deseja o mal ao próximo, e não o seu bem.
No amor você vê a necessidade e age em favor do outro se colocando em seu lugar, ele é útil, gentil.

“Lamentar a desgraça é apenas humano; aliviá-la é divino” (Horace Mann – Lectures on education).

A capacidade de amar é a expressão de Deus em nós. Pois Deus é amor.

“As muitas águas não poderiam apagar o amor, nem os rios afogá-lo...” (Salomão)

“... limites de pedra não podem conter o amor,
E o que o amor pode fazer, isso o amor ousa tentar”
(Shakespeare, Romeu e Julieta, II.ii.67).

Embora nem todas as características do amor sejam manifestadas em nós e confundidas por nossa imperfeição, traz a dificuldade em saber se é amor. A complexidade do amor é como um enigma, e na esperança de vivê-lo em sua totalidade e perfeição, nós iniciamos estas ações e vemos o reflexo do amor, o retorno dos nossos atos, que nos traz o desejo de amar ainda mais.
Três coisas são essenciais em nossa vida: A fé, a esperança e o Amor, principalmente o Amor.



(Texto em itálico extraído do livro O N.T. Interpretado Vrs. x Vrs. - Russell Norman Champlin, Ph. D. - Milenium)